Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

Posted by on jun 2, 2018 in Blog | 0 comments

Um breve relato da história do campeão peso-pesado “Big John” Tate

Um breve relato da história do campeão peso-pesado “Big John” Tate

Boxe Curitiba | Boxe Training | Histórias do Boxe Mundial

James Slater escreve sobre John Tate, o peso-pesado talentoso destinado a acabar com sua vida na miséria

As coisas começaram tão promissoras para o boxeador peso-pesado do Tennessee, “Big” John Tate. Alto, atlético e com um físico impressionante, o homem que nasceu em Arkansas em janeiro de 1955 (depois se mudou para Knoxville) começou no boxe quando adolescente e progrediu rapidamente, com Tate derrotando os futuros campeões Mike Dokes e Greg Page em torneios amadores.

BigJohnTate boxe training curitiba

Foto Mike Weaver vs John Tate

O talento gigante de 1,93 cm, Big John teve que se contentar com uma medalha de bronze, tendo perdido para a lenda cubana e vencedor da medalha de ouro de 76, Teofilo Stevenson. Sua carreira profissional veio no ano seguinte e Tate, treinada pelo experiente Ace Miller, progrediu rapidamente. Pegando boas vitórias sobre Bernardo Mercado, Duane Bobick e Kallie Knoetze, todos os quais foram nocauteados por Tate, e em outubro de 1979, teve uma chance ao título vago da WBA.

Tate viajou para a África do Sul, em seguida, nas garras dos problemas do Apartheid e, na frente de 80.000 torcedores, derrotou Gerrie Coetzee para reivindicar o título que Muhammad Ali havia abandonado por meio da aposentadoria. Tate voltou para casa para Knoxville, como um herói. Infelizmente, seus dias de glória seriam dolorosamente curtos. Com uma conversa de que haveria uma grande luta e muito dinheiro de um retorno de Ali, Tate concordou em primeiro defender seu título contra Mike Weaver. No qual aconteceu que Tate provou ser desastroso em vários níveis, perdendo seu título em 1980.

Muito à frente em pontos após 14 rodadas, Tate foi sensacionalmente golpeado por um gancho de Weaver com apenas 45 segundos restantes na luta. Seus fãs da cidade em estado de choque, Tate ficou de cara no chão por mais de dez segundos. Ainda assim, na época, o pensamento era que Tate era simplesmente uma vítima de uma má sorte, e uma derrota não terminaria sua carreira. O que aconteceu em sua próxima luta acabaria com o tempo de Tate como algo se aproximando de um lutador de primeira classe.

Esmagado de forma a rivalizar com a humilhação da derrota de Weaver, Tate foi expulso do ringue por Trevor Berbick em 20 de junho de 1980, apenas três meses após a sua primeira derrota. De cara para baixo mais uma vez, Tate foi derrubado por um golpe duro que o pegou na parte de trás da cabeça, enquanto ele estava literalmente fugindo de um avanço de Berbick. Mais uma vez, a morte de Tate veio em um grande palco; sua derrota na 9ª rodada para Berbick no under-card da luta de Roberto Duran Vs Sugar Ray Leonard no Canadá.

Tate, lutando regularmente, às vezes contra lutadores decentes, até 1983. Mas depois de uma separação com seu treinador Miller, sem dúvida devido aos frequentes problemas de peso de Tate e sua recusa em treinar adequadamente, Tate se afastou; lutando de vez em quando de 1986 a 1988. Em sua luta final, Tate pesava 127 quilos; a luta contra o britânico Noel Quarless, no York Hall, em Londres. Tate, que não se parecia em nada com o carismático jovem lutador que havia conquistado o título há apenas menos de uma década, chutou as cordas em desgosto quando a decisão das 10 rodadas foi para Quarless.

Agora sem carreira para chamar de sua, Tate ganhou ainda mais peso, aumentando para um número estimado de 181 quilos. Tate lutou contra um problema com drogas desde os anos 80 e, no começo dos anos 90, ele basicamente se tornara um vagabundo nas ruas, mesmo sendo preso por um curto período de tempo pelo crime de pequenos furtos. Uma história que se mostra especialmente preocupante foi com as crianças da vizinhança, sempre que reconheciam o ex-campeão, corriam para Tate e se jogavam no chão à sua frente, rindo enquanto gritavam: “Eu sou John Tate!” e depois fingiam estar inconscientes.

Seu dinheiro e sua saúde já se foram, Tate morreu em um acidente de carro em 9 de abril de 1998. O relatório do legista afirmava que Tate, enquanto dirigia sua picape havia sofrido um acidente vascular cerebral e que ele havia usado cocaína menos de 24 horas antes do acidente.

Tate, que se aposentou com um recorde de 34-3 (23), é um dos mais tristes exemplos de talento desperdiçado na longa lista do esporte.

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *